Awake From Darkness

Tranquilidade nesta noite para vocês.

Tierramystica!!

Tava demorando, mas vim falar de uma das bandas que eu mais gosto.

Eu tentarei ser breve, porque sempre que falo de Tierramystica, eu não paro nunca.

Essa magnífica banda foi formada em Janeiro de 2008 pelo guitarrista Fabiano Müller o multi-instrumentista máximo da banda (porque todos eles tocam mais de um instrumento praticamente), Ricardo “Chileno” Durán, juntamente com Alexandre Tellini, guitarrista. Fabiano e Ricardo são precursores da fusão entre a música andina e o heavy metal, visto o estilo da antiga banda de ambos, Toccata Magna.

Em Abril de 2008, o Tierramystica lança seu primeiro registro de estúdio, New Eldorado, que eu tenho o prazer de dizer que tenho essa raridade, fui presenteado pelo guitarrista, Mestre Fabiano. Durante 2008 e meados de 2009, o Tierramystica seguiu dilvugando seu material em diversos meios. Participaram de programas de TV, fizeram shows ao lado de grandes nomes do metal, como Symphony X, Angra, Sepultura e Paul Di’anno. Em 2009 lançam seu primeiro CD, A New Horizon, baseado na conquista da América, na dominação e extermínio das civilizações pré-colombianas, em especial, os incas, e em temas espirituais.

Além dos integrantes do Tierramystica, o álbum conta a presença do grande músico Ademar Farinha, um dos maiores flautistas do mundo, integrante dos grupos Taracó n e Terramérica.

Juntamente com a música andina, o álbum explora elementos da música hispânica e ritmos tipcamente sul-americanos.

A banda carrega por onde vai o orgulho de ser latino-americano, muitas vezes esquecido pelo público de qualquer vertente musical, bombardeado pelo conteúdo estrangeiro, norte-americano e europeu, e esquece que aqui, na nossa terra, no nosso lado, fazemos música tão bem quanto ou ainda melhor que lá fora.

Desde que ouvi o Tierramystica pela primeira vez, em um vídeo de baixa qualidade de áudio no youtube, afinal não tinham lançado sem primeiro CD ainda, fiquei apaixonado pela sonoridade única da banda e a proposta totalmente diferenciada.

Suas notas tiveram encaixe perfeito em meus ouvidos. Nesse ano que estamos, tive um momento singular, onde minha paixão pela banda, digamos que, foi reconhecida pela mesma, e fui convidado pelo Fabiano a comparecer ao show deles aqui na Fundição Progresso, no Rio, abrindo para a Tarja Turunen. Este foi definitivamente um momento singular que jamais esquecerei e anseio por novamente poder assistir a um show de excelente qualidade como essa banda sabe fazer, e poder novamente bater um papo com esses caras.

Essa música, Qorikancha, que significa Golden Courtyard, tem seu nome baseado no mais importante templo inca, antes chamado de Inti Kancha, Templo do Sol, dedicado a Inti, o deus Sol. A música fala sobre a invasão espanhola evidenciando a visão dos dois lados da moeda. Alguns termos, eu escrevi com grafia diferente da apresentada no encarte, procurei como escrevem de uma maneira “brasileira” e os usei.

Aqui vai a explicação de alguns termos que surgem no decorrer da canção.

Qorikancha: Explicado acima

Morrião: Peça de armadura medieval de material em metal variado, que tinha como função proteger a cabeça do cavaleiro diante de ataques mais ofensivos. O morrião, aparentado do elmo, constituía-se de um capacete ausente de viseira, dotado da forma da caixa craniana, e diferenciava-se do bacinete tão-só porque era comumente ornado no topo com plumas ou qualquer outra variedade de adorno.

Quisquis (Kizkiz): Juntamente com Chalkuchimac e Rumiñahui, foi um dos generais de Atahualpa (décimo terceiro e último Sapa Inca (Imperador) de Tahuantinsuyu, como era chamado o Império Inca). Levou o exército a vitórias, como nas batalhas de Mullihambato, Chimborazo e Quipaipan. Comandou também nas batalhas de Vilcaconga e Maraycalla. Após as batalhas que se seguiram, fugiu para as montanhas e suas tropas logo exigiram que ele aceitasse aos exigências espanholas, pois sendo época do plantio, queriam ver suas famílias, ao recusar, foi morto por seus homens.

Pachacúti (Pacha Kutiq): Quer dizer inversão do mundo, tempo de grandes transformações, tempo de destruições, de desolação e restauração por esta razão a destruição a conquista espanhola foi vista pelos incas como um Pachacúti.

VIVA O TIERRAMYSTICA E NOSSA CULTURA LATINO-AMERICANA!

Tierramystica é (composta por grandes músicos e seres humanos basante dedicados, simpáticos e receptivos):

Fabiano Muller (Guitarra, Quena e Violão)

Alexandre Tellini (Guitarra, Zampoña e Violão)

Rafael Martinelli (Baixo, Quena e Backing Vocal)

Gui Antonioli (Vocal e Percursão)

Luciano Thumé (Tecladista)

Duca Gomes (Baterista)

Ricardo Durán (Vocal, Ocarina, Charango e Violão)

Hoje trago um pouco do oriente médio para vocês, através da banda Orphaned Land. 

Quando se ouve falar em oriente médio, logo se pensa em atentados terroristas devido a eterna disputa entre árabes e israelenses e mortes desenfreadas…

Nesse contexto caótico, onde forças políticas falham constantemente, surge o Orphaned Land chamando seu estilo de “Metal Mulçumano-Judeu” ou “Metal Progressivo do Oriente Médio” tem conseguido de maneira milagrosa juntar por uma única causa judeus e mulçumanos independente de suas culturas, diferenças políticas e conflitos. 

É provavalmente a única banda de Israel que conseguiu juntar uma gigantesca massa se fãs mulçumanos e árabes. Esses fãs se comunicam livremente através de páginas na internet, alguns se orgulham de tatuarem o nome da banda, o que é um grande risco em seus países. Infelizmente, a politicagem e tudo mais, forças militares, impedem hoje o Orphaned Land de tocar em países árabes onde possuem muitos fãs e amigos.

Seu mais novo álbum The Never Ending Way of ORWarriOR possui em seu histórico, mais de 600 horas em estúdio com a Orquestra Arábica de Nazaré, usando vozes em várias línguas como inglês, hebraico, arábico, iemenita etc. Carregado de orientalidade, com instrumentos típicos como saz, santur, flautas árabes, percussões tradicionais, cumbus, bouzouki, violinos, vários tipos de guitarra, piano etc. O resultado é um álbum de atmosfera incrível. É um álbum conceitual dividido em três partes, liricamente falando. 

A canção que trago hoje é de um álbum que gosto muito, Mabool: The Story of the Three Sons of Seven, conta a história de três filhos (anjos) do sétimo (na mitologia, o número sete se refere a Deus). O sétimo foi dividido em três, representando as três religiões Abraâmicas (Judaismo, Islamismo e Cristianismo).

Cada anjo tem um poder e representação, o primeiro, o judaismo, representado pela estrela de Davi e seu poder é a magia. O segundo anjo, o Islã, é a metade de uma lua, seu poder é a força. O terceiro anjo, o Cristianismo, representado pela cruz e o poder da sabedoria. 

No contexto do CD, as três foram proibidas de se unir por Deus, pelo medo de suas forças, ignorando a ordem divinda, as três se unem em um único anjo, que imediatamente é lançado do céu à terra e dividido em três de novo, sentenciados a lutar entre si até que provem eles mesmos e voltem ao céu.

Os anjos então tentam convencer a humanidade a parar com seus pecados e alertam para um dilúvio como castigo caso eles não parem. O álbum descreve a jornada dos três, suas crenças, e no fim, suas falhas. Musicalmente é um CD muito bom, o que pode assustar a primeira vista são os guturais, que particularmente eu não gosto, mas passam bem devido ao resto magnífico apresentado, as letras e o que diz, eu ainda preciso analisar. Eu peguei uma música que gosto muito, por acaso a primeira, que dá todo o prologo que descrevi e traduzi para vocês aqui, espero que gostem!

Estou viciando seriamente na banda desse cara.
Eu admiro bastante o Mustaine, além da música, pelo fato de que foi um cara que por toda vida pavimentou a fama em cima de polêmicas, falas tortas, jeito errado e que hoje em dia, atingiu um ponto onde se converteu ao cristianismo e agora declara isto abertamente e mostra ter encontrado o caminho. Ele até mesmo foi capaz de cancelar dois shows em festivais por recusar subir no mesmo palco que bandas de black metal com cunho satânico. Não que eu ache que ele precisava disso, mas achei legal.
Eu to me inspirando nele para tocar e cantar ao mesmo tempo, coisa que pra mim é/era impossível, porque até que tenho melhorado nas músicas do Megadeth.
Deixo vocês aqui com uma música bem bonita deles que também foi alvo de polêmica, onde um jovem postou em seu blog a letra desta canção e foi para uma escola ou universidade, não me recordo bem, e matou várias pessoas e depois cometeu suicídio, caso famoso…
O Megadeth foi processado, mas eu acho que foi absolvido, Dave Mustaine disse que a música foi composta em homenagem à sua falecida mãe.
 http://www.youtube.com/watch?v=eH8iq2MMCNU

Estou viciando seriamente na banda desse cara.

Eu admiro bastante o Mustaine, além da música, pelo fato de que foi um cara que por toda vida pavimentou a fama em cima de polêmicas, falas tortas, jeito errado e que hoje em dia, atingiu um ponto onde se converteu ao cristianismo e agora declara isto abertamente e mostra ter encontrado o caminho. Ele até mesmo foi capaz de cancelar dois shows em festivais por recusar subir no mesmo palco que bandas de black metal com cunho satânico. Não que eu ache que ele precisava disso, mas achei legal.

Eu to me inspirando nele para tocar e cantar ao mesmo tempo, coisa que pra mim é/era impossível, porque até que tenho melhorado nas músicas do Megadeth.

Deixo vocês aqui com uma música bem bonita deles que também foi alvo de polêmica, onde um jovem postou em seu blog a letra desta canção e foi para uma escola ou universidade, não me recordo bem, e matou várias pessoas e depois cometeu suicídio, caso famoso…

O Megadeth foi processado, mas eu acho que foi absolvido, Dave Mustaine disse que a música foi composta em homenagem à sua falecida mãe.

 http://www.youtube.com/watch?v=eH8iq2MMCNU

Ace Frehley

Ace Frehley - Simplesmente

Viva a América Latina!

Viva a nossa cultura latino-americana, pessoal! 

Vamos abaixar nossos olhos um pouco das coisas americanas e olhar para o nosso lado! Quanta coisa bonita e motivo de orgulho temos por aqui! Nossa música, cultura em geral, belezas naturais, espírito caloroso! 

Foi horrível escolher a canção que acompanharia esta imagem, estava perdido em várias músicas andinas lindas, mas escolhi essa na base do sorteio praticamente! 

Esperço que gostem e grande abraço, viva a América Latina!

Tá chegando as P2s e as PFs e até hoje não inventaram desenho que melhor expressa um sentimento do que este. O tumblr prioriza a imagem e como até hoje eu não tinha posto uma, taí uma bela estréia, e foda-se esta merda. 

Tá chegando as P2s e as PFs e até hoje não inventaram desenho que melhor expressa um sentimento do que este. O tumblr prioriza a imagem e como até hoje eu não tinha posto uma, taí uma bela estréia, e foda-se esta merda. 

Ninguém se perguntou de onde veio Awake From Darkness, título do meu tumblr?

É uma canção do álbum de inéditas mais recente da minha banda preferida, o Angra. 

Eu fiz este vídeo (que deu trabalho, por isso gostaria que assistissem) contendo a imagem de um show, que sincronizei com a canção de estúdio e legendei com a tradução. Eu acho que ficou bem bacana. 

Para quem não entender a letra, este álbum (Aqua) é conceitual, e conta a história da última peça de Shakespeare, A Tempestade. Possivelmente a música trata dos sentimentos pessoais do personagem principal, Próspero. Mas não é preciso conhecer a história para se sentir e interpretar a música, mesmo que o Angra trabalhe em cima de um conceito, eles claramente fazem uma música livre que pode ser trazida para a vida de qualquer um, repleta de metáforas desprendidas do conceito que serviu de base. 

É assim que me sinto, desperto da escuridão, AWAKE FROM DARKNESS!




Reblog if you care. Don’t worry, this will not kill your Tumblr.

Reblog if you care. Don’t worry, this will not kill your Tumblr.